Frio prazer

10 05 2007

1:35am

Um alto indivíduo morador de uma região conhecidamente quente dos trópicos sul-hemisféricos encontra-se em seu quarto, pronto pra dormir, porém, diante do computador realizando algumas últimas tarefas do dia. Dia esse que foi apenas comum, á excessão do que o tempo reservou àquela região do planeta… Os termometros marcam 12° C nessa noite. Ainda há muito frio por vir.

Ele levanta-se da cadeira e segue em direção á cozinha no seu habitual caminho das madrugadas. Sua excessão seria o caminho do banheiro, que ele decide tomar logo em seguida. Após lavar as mãos, percebe o imenso prazer causado pela peculiar temperatura da água, causando-lhe imediata vermelhidão em suas mãos. Essa não é uma sensação comum. Não é sempre que se pode tê-la. Sua mente então sugere que vá até o quintal de sua casa, sentir a presença desse companheiro nessa madrugada, o frio inesperado. A primeira coisa que lhe surge á cabeça é que para sentir o frio em toda sua força, somente tomando banho em temperatura natural. Não que fosse necessário, visto que o rapaz já havia tomado banho horas antes.

Ele despe-se, entra no chuveiro e o prazer daquela água em torno de 10° C lhe toma conta. É um misto de ânimo e desequilíbrio. Seu corpo todo começa a tremer. A água continua caindo sobre seu rosto, escorrendo furiosamente gelada sobre seu corpo. Seus joelhos tremem. Seu maxilar tenta tremer, mas, seus músculos travam intensos, tentando eles próprios, se contraindo, manter a temperatura do corpo. A água agora percorre todo o seu corpo, e que prazer ele sente. A sensação é única, não se pode negar. Seu peito começa a ficar vermelho, todo o sangue de sua mão se esvai pra outras partes do corpo, e a mesma empalidece. A respiração é ofegante, desritimada, intensa, forte. A água agora parece estar impiedosamente a 5° C. A contração dos músculos já é tão intensa, que a sensação é de que os músculos do peito e do rosto teriam feito menos esforço numa corrida em disparada.

Ele desliga o chuveiro e o prazer e a tortura terminam. Sua vontade está saciada. Sua respiração começa a voltar ao normal, sentindo seus pulmões intensamente revigorados, como somente em bons e longos minutos de corrida eles se sentiriam. Ele se veste e volta ao seu quarto. Já não há mais o que fazer nesse dia. O frio continua lá fora, cinza, molhado, gélido e extremamente agradável. Será uma boa noite.

1:58am

Ele deita, liga o seu mp3 e descansa. Seus pés estão frios, meus pés estão frios. Eu deito, penso e espero que o frio me acompanhe pelos próximos dias.


Ações

Information

2 responses

11 05 2007
Marcus Roberto

Você é masoquista, Thyago??? Tá doido tomar banho frio no dia de ontem…

Mas concordo que não há nada mais gostoso que um clima assim. Faço coro dizendo que espero que continue assim por dias e dias…

11 05 2007
Thyago Miranda

Cara, tú não tem idéia do prazer que é entrar numa água fria num dia realmente frio. São poucas as vezes que isso ocorre. Em geral, sou obrigado a tomar banho de água morna e sair de casa ensopado durante durante o dia. Quando a temperatura está na casa dos 15°… é uma maravilha!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: