Kill Bill e a cultura latino-japonesa

12 05 2007

Todo mundo sabe alguma coisa ou, pelo menos, sabe do que se trata essa obra-prima do Tarantino. As fortes influências dos seriados japoneses da década de 70 e muito da cultura latino-americana estão presentes nesse filme, que há alguns anos já é cult entres os cinéfilos de todo o mundo. E é com eles que eu quero falar agora, mais precisamente, pra saber algumas coisas.

Vamos lá: vocês sabem que o valor do filme não está presente só no roteiro, na ótima direção, na beleza estética nem somente na atuação de Uma Thurman e companhia. Grande parte da força do filme se encontra na sua excelente trilha sonora. Não é uma trilha sonora, por exemplo, pra iniciantes. Ela não é uma trilha,  como a de filmes do perfil de homem-aranha e etc. Não por desmerecimento da franquia do aranha, mas, pelo perfil dele exigir outro tipo de trabalho musical. Ela se encontra num estágio mais profundo, naquele nível onde você já se encontra perfeitamente localizado no mundo dos amantes do cinema e sua música. Afinal de contas, não é qualquer ouvido que aceita certas músicas de influência oriental, latina ou anos 70, como a da Nancy Sinatra, na abertura do primeiro filme. Por isso se tornou cult.

Mas, indo ao ponto onde eu queria chegar, e espero que o google me dê uma boa ajudinha nisso, queria saber dentre os fãs de Kill Bill e sua música, quem é que conhece mais sobre a Kaji Meiko. Ela está em duas maravilhosas faixas nos cds do primeiro e segundo filmes. No primeiro, ela assina a “The Flower of Carnage”, que é de uma inspiração ímpar, com destaque para os instrumentos de sopro – que eu não identifiquei ainda qual é… Já no segundo, ela encerra o álbum com a “Urami Bushi”.

A minha pergunta é, pra quem conhece um pouco mais que eu o trabalho da Meiko, se esse é o ritimo dela, se essa na verdade é a assinatura de todo o trabalho, ou se essa música dela no álbum é apenas influência do material como um todo e da personalidade musical do filme? Ás vezes, como no caso da Annie Lennox na faixa “Into the West” em O Retorno do Rei, o material gravado fazia parte de uma trilha sonora originalmente gravada para o filme, coletando vozes e artistas para composições inéditas.

E então? Alguém conhece a Meiko? Tomara que eu tenha alguma resposta, né?!🙂

Pra quem não conhece, e ficou curioso, aqui vai um vídeo que eu encontrei no youtube com a música “The Flower of Carnage”, de Kaji Meiko em Kill Bill Volume 1.


Ações

Information

2 responses

26 05 2007
Cristina

Oi.. bom, estou comentando aqui pelo fato que ocorreu cmg tb, na rede de cinemas Cinemark, aqui de Santos SP. Ontem fui assistir a Piratas do Caribe, e eles falaram que nao dão meia entrada para menores, só para estudantes. Como eu nao tinha a lei impressa, nao pude fazer nada né.. mais estou correndo atrás dessa lei, para levar até lá.
Eu só não tenho certeza se essa lei vale para todo território nacional, estou pesquisando a respeito, mais quando morava em Joinville SC tinha direito sim.

beijos

27 05 2007
Thyago Miranda

Olá Cristina!

A lei que eu me referia aqui no site, infelizmente, vale somente para o Estado do Rio de Janeiro. Em São Paulo, alguns amigos e conhecidos meus já me disseram que não tem. Acredito que possam haver outros estados com lei semelhante á carioca, mas, não sei quais. Como você disse, Santa Catarina tem. Já São Paulo…

Beijos Cristina!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: