Fretes abusivos: diferença de até 500% na Saraiva Online

26 10 2007

Caros leitores, publicarei, conforme avisado á própria Saraiva, a cópia do meu email enviado á eles nessa tarde, como forma de tornar público esse abuso que se tornou a cobrança de fretes no Brasil. Os valores, como serão demonstrados abaixo, variam de 300 a 500% entre cidades vizinhas.

Como vocês, aguardarei respostas ao caso que será, também, publicada aqui no Digo. O que acontece não é um erro do lojista online, mas, uma prática deles que estava se tornando frequente, e já há algum tempo eu vinha desistindo de comprar por achar simplesmente que o preço aumentou e era normal. Veremos então, qual será a resposta deles.

Enquanto isso, a mensagem original, enviada por mim, Thyago Miranda, hoje:

“Acabei de falar com o atendente Marco Antonio no chat, que me instruiu a enviar um email ao atendimento.
Pois bem, a minha dúvida é com relação ao frete. Como expliquei a ele, eu estava fazendo uma compra de um livro que não se encontrava na promoção de frete grátis, ao contrário do que eu comprei nessa madrugada e que já está sendo enviado para mim. O que me espantou absurdamente foi o valor do frete cobrado.
Moro em São Gonçalo, região metropolitana do Rio que, pra vocês da Saraiva sai como RJ – Capital. Quando fui realizar a compra, supresa: R$ 17,92 de FRETE! Colocando outros CEPs do Rio, mais uma surpresa: se eu efetuasse a compra, e concordasse com aquele valor de frete, eu pagaria mais de 3 vezes o valor cobrado para o Rio de Janeiro e para Niterói, cidade vizinha á minha. Já verificando com um CEP do interior, surpresa maior ainda: lá eles pagariam quase 5 vezes menos que eu!
Não posso concordar com uma cobrança dessas. Esse é um preço abusivo. Se eu realizasse a compra de um livro que custasse 30 reais, eu pagaria simplesmenet 60% do valor da mercadoria só pra recebê-la.
Não quero deixar dúvidas algumas para os senhores não me darem respostas vagas: a compra que seria realizada era de 1 (um) único ítem, que é o livro “Neve – Orhan Pamuk” no valor de R$ 33,00.
Porém, para a minha ingrata admiração, resolvi testar o serviço de cálculo de fretes de vocês. Quero que fique bem claro que caso eu confirmasse aquela compra eu seria cobrado daquele valor sem direito a reclamar, uma vez que eu tinha autorizado tal cobrança. Sendo assim, parti para um teste com um livro no valor de R$ 6,70 (SEIS REAIS E SETENTA CENTAVOS) de título “Minutos de Sabedoria”, de Carlos Torres Pastorino. Frete: R$ 17,92. O frete, senhores, nesse caso custaria 267% a mais do valor do produto!
Gostaria saber se isso realmente procede. Se são realmente esses valores praticados por vocês ou por suas transportadoras oficiais. São variações absurdas, de 300 a 500% entre os fretes cobrados em diferentes regiões próximas.
Aguardo contato com soluções cabíveis ao caso, que não há, aos olhos do consumidor, justificativa alguma.”

Ações

Information

3 responses

29 10 2007
Felipe

Olá Thyago,

apesar de obviamente ser um frete altíssimo (se calculado em valores percentuais), o comerciante é livre para cobrar o valor que bem entender sobre seus produtos, cabendo ao consumidor a escolha se deve, ou não, submeter-se a este preço e adquirir o produto.

A seleção é natural e elimina os exploradores.

Apesar de vc, como consumidor, ter direito à confirmação do valor e ao protesto, não me parece correto uma “exigência” de justificativa. Algo que neste caso poderia sugerir uma resposta no seguinte teaor: “Prezado cliente, o mercado funciona sob análise de resposta do consumidor. Se estiver caro, não iremos vender e seremos obrigado a baixar os preços cobrados ou retirar a disponibilidade. Se vender continuaremos, como continuamos (se é que continuam) a vender normalmente. Em outras palavras, compre se quiser”.

PS: Não faço parte de nenhuma livraria ok?😉
Foi apenas uma opinião baseada no meu humilde bom-senso. Boa sorte!

29 10 2007
Thyago Miranda

Pois é Felipe,

nesse caso, não se trata do preço cobrado sobre o produto, não se trata de comparar quanto custa o produto x no vendedor y comparado ao vendedor z. Não é uma questão de cobrir oferta, pois o que está sendo falado aqui não é o preço do produto, é o quanto eles oneram o cliente pra que o produto comprado simplesmente chegue em sua casa.

Só que alguma coisa está errada. Os valores cobrados são exclusivos de uma única cidade Felipe. Não está sendo cobrado por região, e, mesmo assim, aparece a cidade como fazendo parte da região RJ-Capital. Como o preço que eles praticam pra essa região é diferente do preço cobrado pra uma cidade, na mesma região, e se analisarmos que nesse caso as cobranças de frete são feitas com base em peso x quantidade x distância, em especial esse último, nesse caso, teríamos cidades mais distantes e cidades visinhas que passariam por São Gonçalo como caminho obrigatório, daí, caro Felipe, teríamos algo que não se trata apenas de bom-senso. Nesse caso, o seu direito de consumidor de contestar com base em fatos analisados lhe dá plena abertura de espaço, seja com eles seja com alguém responsável pra verificar a igualdade de preços nos serviços prestados por uma mesma empresa para entregar um mesmo produto no que eles, segundo as regras deles próprios, enquadram como mesma região, devendo assim, fazer parte de um mesmo “pacote”.

Acho que não é um simples caso de livre concorrência.😉

De qualquer forma, gostei de você ter exposto sua opinião aqui. Uns colegas comentaram comigo a respeito disso. Como você comentou aqui, te convido á voltar aqui pra ver qual será o resultado dessa história.

Sinceramente, prefiro que seja favorável ao meu ponto de vista, que, nessa resposta ao seu comentário deve ter ficado mais claro, mais objetivo que no post.

Caso não tenha solução á isso, e você esteja correto Felipe, como existe sim a chance de estar, de eles poderem cobrar livremente o preço de lugar pra lugar, dentro de uma mesma região. Aí… ai darei o braço a torcer, pararei de comprar sem promoção de frete grátis (17,92 é insuportável!) e recorrerei aos concorrentes que não tinham a minha preferência… Fazer o quê né? Se bem que as promoções em livros agora estão quase generalizadas. É como se as Editoras liberassem um novo ‘piso’ de cobrança, e todos têm o direito de fazer as milagrosas promoções.

Abraços!🙂

1 12 2007
danilo

A Saraiva deveria respeitar mais os seus consumidores.
Compartilho com vocês minha experiencia com eles

http://naocomprenalivrariasaraiva.blogspot.com/

Abs

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: