Viaje na Viagem de casa nova – é o Freire num novo portal!

20 11 2007

Esse é um post meu em homenagem á um dos melhores escritores sobre viagem desse país. Eu já falei do Ricardo Freire algumas vezes aqui no blog, já o citei no Blog Day em agosto, já linkei pra alguns dos posts dele. Enfim, já embarquei “na carona do amigo”.

Dessa vez, o Freire está de casa nova. Seu magnífico blog, um dos mais visitados do wordpress, se mudou pra plataforma do Viaje Aqui, portal de turismo da Editra Abril. Agora a paixão do Freire ganha ares profissionais, o que pros leitores dele será uma mera questão de endereço na internet: todo a interatividade, a atenção, o toque-de-midas do blog do Freire apenas saiu do wordpress. Só. Até a boiazinha foi junto!

Então, pra homenagear essa mudança embarcando na carona do amigo Riq Freire, eu encontrei aqui nas minhas coisas o texto dele mais marcante, o inesquecível “Valsa de uma Cidade”, onde ele declara o seu amor pela cidade da Guanabara.

“Valsa de uma Cidade

 

 

Se algum dia me perguntarem por que eu viajo, eu vou responder: para ver se encontro algum lugar mais encantador que o Rio de Janeiro. Até hoje, não encontrei. Outras cidades podem ser muito superiores em um ou outro aspecto, mas levam nota baixa em tantos quesitos — tipo ala das baianas, empolgação e alegorias de cabeça — que na média acaba dando o Rio, longe. Se você fizer questão de padrões internacionais de julgamento, tudo bem, lá vai: o Rio é Oscar de cenário, direção de arte, casting, (falta de) figurino, roteiro e trilha sonora original. Em que outro canto do planeta você encontra praia, vida cultural de primeira, gastronomia, compras e um povo exótico (nós mesmos!), tudo num lugar só, e em qualquer época do ano?

Para começar — eu adoro dizer isso, porque consigo injuriar paulistas e cariocas numa mesma frase — o Rio é a melhor coisa de São Paulo.

A própria ponte aérea já é uma grande idéia — uma invenção made in Brazil, imagine só, fruto da aliança entre o capital e a vontade de fugir do trabalho. O vôo inteiro é lindo. Com tempo bom, são pelo menos 30 minutos ininterruptos de litoral sendo traçado ao vivo embaixo do seu nariz: a Ilhabela, a baía de Ilha Grande, a restinga da Marambaia. A aterrissagem é mais linda ainda. O avião mergulha perigosamente em direção a um centrinho manhattóide — mas quando você desce a escada, o bafo, o cheiro da maresia e a visão do Pão de Açúcar no canto esquerdo da tela dissipam quaisquer dúvidas e dão as boas-vindas à Guanabara. Que Hong Kong que nada: não existe pouso como no Santos Dumont.” Por Ricardo Freire, em alguma época há um tempo atrás…

Sucesso ao Riq no novo portal!


Ações

Information

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: