Wi-Fi no Rio: agora é a vez da Baixada Fluminense

27 01 2008

Muita gente torceu o nariz para o anúncio feito pelo Governo do Estado em que o mesmo se comprometeria com o projeto de levar Wi-Fi, primeiro, à Copacabana. Diziam ser projeto pra europeu ver. Tudo bem, se é projeto pra europeu ver, convide o próximo francês que desembarcar no Galeão a fazer uma visitinha amanhã, às 10h, em Duque de Caxias para o anúncio da chegada do projeto à Baixada.

É um projeto realmente fascinante. Como eu comentei quando veiculei isso aqui no Digo, isso era um tipo de projeto que eu jamais imaginaria por aqui pelo Brasil em tão pouco tempo, se comparado com o recente modelo implantado em Paris no ano passado. Porém, além de ter sido surpreendido com o avanço de tal medida promovida em pleno estado do Rio, dessa vez, no anúncio feito pela assessoria de comunicação do governo, eles têm o orgulho de dizerem com todas as letras que esse projeto trata-se de um dos maiores do gênero, no mundo. Pra ser mais exato, é o terceiro maior projeto de Wi-Fi gratuito no planeta, ficando atrás apenas de projetos na Cidade do México e na China. É ou não é impressionante?

Os detalhes exatos de como isso funcionará, sinceramente, acredito que só poderei saber na prática, quando estiver funcionando. O projeto, que visa levar essa conexão a todo o estado, ainda me gera algumas dúvidas no que diz respeito à cobertura efetiva de todas as regiões e, como consequência, a substituição de assinaturas convencionais de serviços banda larga.





Rede Wi-Fi gratuita transformará Copacabana e o Estado do Rio!

2 01 2008

Essa é uma daquelas notícias monumentais. Dada a sua importância e sua magnitude, além de estar relacionada a tecnologia, decidi publicá-la em outro blog, o MacMagazine que tenho acesso como autor pra, enfim, anunciar um grande passo do Rio de Janeiro rumo à inclusão digital, verdadeiramente inclusiva.

O Rio de Janeiro, queridos leitores, terá uma rede de internet Wi-Fi, inicialmente em toda a praia de Copacabana e todos, todos os municípios da Baixada. O projeto, orçado nessa fase inicial em 4 milhões de reais pra levar a internet sem fio a esses locais, se multiplicará em dez vezes no seu orçamento pra oferecer em até 1 ano e meio, internet gratuita, sem fio e em alta velocidade á todo o Estado do Rio.

É um grande notícia mesmo! Leiam na íntegra no MacMagazine essa notícia que pode realmente dar o título ao Rio de Janeiro de Estado Digital muito antes do previsto, que seria 2010.





Digo no iPod Touch

3 11 2007

Digo no TouchPois é, quem acompanha o Digo sabe como foi a minha experiência desagradável com o meu iPod Touch, que foi pro médico e ainda não voltou. Enquanto isso, um amigo meu (Marcus, leitor do Digo) mandou umas fotos bem interessantes deste blog na telinha multi touch do iPod.

Até agora eu fico só babando, esperando pelo meu brinquedinho voltar da UTI…

Ah, aos usuários brasileiros que estão interessados em saber mais sobre o Jailbreak para o Touch, esse iPod aqui do Marcus está completamente desenjaulado. O processo foi feito com o Instant Jailbreak que, depois de alguns sustos, funcionou. Notem no canto inferior direito um brilho amarelo numa espécie de bolha. Esse é o Dock, um programa que foi instalado no iPod e permite que esse computador Mac OS X execute tarefas ao mesmo tempo e você navegue entre elas sem ter que voltar ao menu principal. O coneito: igual ao dock do OS X Leopard. Funciona maravilhosamente bem!





iPod 160 GB, Nano Gordo, iPod Touch e mega desconto no iPhone!

5 09 2007

Bem, foi isso que muita gente acabou de presenciar online, via diversos sites. Steve Jobs mostrou ao mundo tudo que nós já esperávamos (exceto a parte de que o Touch só tem aé 16GB).

Nova linha iPods

As novas cores do Shuffle eram reais, o novo Nano está mesmo gordo – porém, o design que apresentaram no Keynote é até interessante. Além disso, agora só existem Nanos de 4Gb e 8Gb (149 e 199 US$). As cores são boas, mas, eu adorava aqueles verdes, azul e laranja fortes. O iPod que cada um dava um nome diferente, agora é o iPod Classic. E ele vem todo poderoso nessa versão: 80 e 160Gb. Simplesmente GIGANTESCO nas capacidades e incrivelmente mais fino na espessura! E os preços também mudaram. Agora você compra oitenta gigas pelo antigo preço de trinta, e os 160 pelo preço dos antigos 80GB: 249 e 349 dólares respectivamente. E com direito a nova interface, ligeiramente modificada, e exaustivamennte prevista nos rumores.

iPod Touch

Agora, o mais esperado mesmo era o iPod multiTOUCH. E ele veio! O problema, pra mim, é que ele veio em versões de 8 e 16Gb. O meu iPod é de 30Gb, que eu não enchi todo, mas, a metade se eu for contar com arquivos armazenados como HD externo. De música mesmo, só 12GB. O que eu faço?! Bem, terei um mês pra pensar, já que ele não estará disponível até o fim de setembro. E os preços também vieram salgados pro tamanho deles: 299 e 399 doletas. Agora, o mais impressionante é que esse novo iPod acessa a internet! Via Wi-Fi com o browser Safari. Simplesmente PERFEITO! Agora, você pode ler emails e acessar seus sites favoritos em qualquer lugar que tenha essa conexão, seja gratuita ou não. Inclusive, vai poder assistir, tal qual o iPhone, á vídeos do YouTube! Não quero outra coisa (Wifi, não o YouTube)! Esse novo iPod, só não agregou a função de Rádio Digital, bastante comentada nos últimos dias. Fora isso, tem tudo e muito mais. Ah! Ele também NÃO tem a camera que o iPhone tem.

Eu realmente esperava por esse lançamento. A tela é linda, os recursos são fascinantes. Não dá pra não ficar imaginando todos os recursos desse iPod Touch. Só ainda estou implicando é com a capacidade. Mas, vou me acostumar com isso a tempo!

Já o iPhone está ao gosto do público: como o sucesso de vendas da versão 8Gb foi muito grande, eles tiraram do mercado o 4GB e simplesmente cortaram 200 (duzentos!) dólares da versão 8 gigas que agora estará custando 399US!

As considerações finais sobre os produtos, testes e outras coisas mais, vocês podem acessar nos sites dedicados ao mundo Apple: Macmagazine no Brasil, Gizmodo, Macrumors e iLounge.

Ah! E ainda tem a iTunes Music Store Mobile! Mas, isso é para os sobrinhos do Tio Sam…

Fotos: Engadget 





Blog Day 2007 – O Dia dos Blogueiros

31 08 2007

blog-day.jpg

Com um pouquinho do tempo que me restava, afinal, já são mais de 7 da noite, consegui parar na frente do computador pra poder participar do Blog Day 2007 – o primeiro do Digo! Eu recebi um email do Marcus, que tá sempre por aqui, me avisando desse dia. Então, essa é a minha contribuição ao Dia dos Blogs, com 5 indicações de blogues que eu adoro:

Diário do Rio de Janeiro: Nem preciso dizer que essa é uma das fontes de notícias sobre a cidade que eu amo de verdade. Sempre bem atualizado, objetivo, e muito bem informado!

Viaje na Viagem: Esse é o blogueiro viajante mais amado do país. Com o Freire, tudo é superlativo: o mais querido, o mais influente, o mais interessante, o mais visitado e o mais comentado. Ricardo Freire, publicitário e viajante profissional, é o homem por trás do blog top 3 (tem dia que está em primeiro, tem dia que está em terceiro mais visitado, mas, sempre, entre os tres maiores) do WordPress Brasil. Sua missão em viagens: ser crítico de hotéis – profissionalmente. Para os tripulantes do seu blog, o que ele faz é muito mais que isso: é comandar nossas viagens diante da telinha do pc. Viaje na viagem!

Arnaldo em: Fatos e Fotos de Viagens: Se tem um site pra babar com as viagens frequentes dos viajantes profissionais da blogosfera brasileira, esse site é o do Arnaldo. Lá você encontra um acervo enorme e muito bem fotografado com relatos-guias de suas viagens pelo mundo. E está sempre atualizado. O Arnaldo viaja!

MacMagazine: Essa é para quem gosta de tecnologia e, em especial, que é um Apple Fan. O Macmagazine é um blog comandado pelo Rafael Fischmann e que conta com várias outras pessoas dando apoio para formar o que é o melhor site brasileiro para a comunidade de usuários Apple – do iPod ao iMac. Ótimo grupo que faz o site e, uma coisa interessante: ótimo grupo de leitores que debatem nos comentários. Esse é um detalhe que me fez me sentir mais á vontade. No Macmagazine eles respeitam a sua opinião – desde que seja respeitável, é claro. Mas, o que eu quero destacar com isso é o diferencial do Macmagazine. Tem um outro site da mesma temática não muito simpático nem no blog nem no fórum, com administradores mal educados. Enfim, entre pelas portas da frente no mundo Apple. Entre pelo melhor blog brasileiro dedicado ao assunto.

Morar Sozinho: Mora sozinho? Quer dividir suas opiniões ou suas dúvidas com alguém de forma irreverente? Não percam esse blog! O Vinícius, comandante sozinho – é claro -, lança em textos irreverentes todas as suas idéias e peripécias de uma vida só: suas agruras, seus prazeres e suas possibilidades. Muito útil. Nem que seja pra rir com as sacadas do Vinícius!

Essa é a minha contribuição ao Blog Day 2007. Se vocês quiserem conferir o que o mundo está postando nesse dia, e indicando, cofiram no Technorati o que anda rolando pela blogosfera.





Brasil pelo “unbundling”: uma necessidade econômica

29 08 2007

Existe uma mecanismo de regulamentação que pode mudar completamente o cenário da prestação de serviços de telecomunicações no Brasil: unbundling. Já há um tempo que eu venho querendo falar sobre esse assunto tão poderoso que pode realmente mudar a forma como conhecemos e adquirimos serviços seja de internet como de tv por assinatura. E nada disso envolve novas tecnologias nem mudanças no que já existe hoje, físicamente.

O processo é puramente regulatório: basta que se mude alguns detalhes nas leis que regem esses mercados. Ultimamente esse assunto tem rodado em alguns sites políticos e outros que tratam das teles. Dessa vez, o Senado está em consenso sobre o assunto: o Brasil necessita de uma prática que desagregue as redes físicas de seus efetivos prestadores de serviços. É exatamente isso que essa palavrinha estranha e mágica, o “unbundling”, propõe. Os serviços de telecomunicações hoje, seja tv a cabo, seja internet ADSL, são prestados de acordo com o alcance de suas respectivas redes físicas, logicamente, porém, para cada tecnologia específica, tanto de tv quanto de banda larga, há diferentes prestadores que possuem o direito de propriedade em suas redes que lhes dá o direito de exclusividade no uso, além do direito de não ofertar o serviço em questão. Essas práticas, hoje, no mercado monopolizado do Brasil, fazem elevar, por exemplo, em 10 a 20 vezes o preço de um serviço de banda larga ADSL se comparado com outros países no mundo.

O que ocorrerá com a regulamentação do processo de unbundling é que as teles perderão o direito de propriedade sobre as redes, o que promoverá desmonopolização e, consequentemente, baixa nos preços por conta de um mercado mais concorrido. Hoje, 29 de agosto, durante um debate no Senado Federal, o presidente da Associação Brasileira das Prestadoras de Serviços de Telecomunicações Competitivas (TelComp), Luiz Cuza fez sua apresentação focando na necessidade de expandir o acesso às redes. Cuza protestou contra as regras atuais que estariam fazendo com que o preço da conexão via ADSL no Brasil fosse de 10 a 20 vezes maior do que em outros países.

Esse processo, que já é adotado em outros países, está legalmente previsto na Lei Geral das Comunicações, onde diz que as concessionárias são obrigadas a oferecer, a preços não discriminatórios, acesso aos seus concorrentes.

Eu acredito que, antes de qualquer licitação das frequências de WIMAX ou 3G, um amadurecimento nas formas em que os serviços existentes hoje são prestados, já garantiriam um avanço significativo na base instalada de assinantes de banda larga no país, antes mesmo de se pensar em questões promovidas pelas tecnologias de banda larga sem fio como alcance em áreas que as teles não ofertam nem telefonia nem banda larga. Antes de se chegar na equação do problema rural, há de se resolver em caráter de urgência, a questão da democratização e desmonopolização dos serviços já prestados. A inclusão digital á ser feita na região rural é o que poderíamos chamar de última etapa na universalização do acesso em banda larga. Antes, há muito o que se fazer por aqueles que estão a um passo de entrarem para o mundo das informações em alta velocidade.

Antes de colocar uma nova tecnologia para disputar mercado e delegar ás prestadoras de serviços o controle na redução dos preços ao consumidor, sem marco regulatório que influencie isso, o Governo poderia efetivamente produzir um cenário mais propício ao crescimento do mercado, regulamentando com artifícios previstos em lei que trariam de imediato mudanças na forma como o consumidor contrata os serviços já existentes, saindo ao final das contas, como uma inteligente e eficaz medida a curto prazo.





Conexão sem fio gratuita nas ruas, de Paris

18 08 2007

Eu costumo citar como exemplo da civilidade francesa a presteza do governo local para com os cidadãos. Em que situação? Carteira de motorista para jovens. Lá, na terra de Nostradamus, o governo tem programas de popularização e incentivo ao acesso dos jovens á sua primeira habilitação através de redução das taxas cobradas á níveis simbólicos. Já aqui na terra da Mãe Diná, a coisa é bem diferente. Pra começar, quando tudo já era caro, o governo do molusco decide modificar validades de documentos, e, o indivíduo envolto nessa névoa tributária é obrigado a duplicar sua módica oferta de R$500 para ter acesso ao documento.

Voltando á respeitável terra de Nostradamus, Monet e companhia, a prefeitura de Paris decidiu implantar centenas de pontos de acesso de internet, sem fio, gratuitos na cidade-luz em benefícios de parisienses e turistas que visitam a cidade. Parte do serviço foi lançado pelo prefeito Bertrand Delanoë na Paris Plage, a praia de Paris, montada à beira do rio Sena durante o verão europeu. A integralidade do serviço com seus 400 locais de conexão web sem fio e gratuita só estará disponível depois de setembro. Os locais onde a conexão será possível vão desde praças e jardins até museus.

Bela iniciativa do governo local, não acham? Um digno e curioso detalhe deve-se ao fato de que nem todos estão satisfeitos com esse progresso francês na devida “democratização” do acesso público – claro que para usufruto de tal, Macbooks e Vaios, entre outros, são necessários. Agora, querido leitor, o lado insatisfeito da moeda são as companhias telefônicas. Lá existe governo pra fazer, agência pra regular e empresas pra respeitar.

Enquanto isso, na sofrida terrinha da Tarsíla do Amaral… qualquer esperniada das teles locais colocam governos, agências e afins nas mãos deles. E nós somos os onerados de sempre.

Disordem e Regresso…