Wi-Fi no Rio: agora é a vez da Baixada Fluminense

27 01 2008

Muita gente torceu o nariz para o anúncio feito pelo Governo do Estado em que o mesmo se comprometeria com o projeto de levar Wi-Fi, primeiro, à Copacabana. Diziam ser projeto pra europeu ver. Tudo bem, se é projeto pra europeu ver, convide o próximo francês que desembarcar no Galeão a fazer uma visitinha amanhã, às 10h, em Duque de Caxias para o anúncio da chegada do projeto à Baixada.

É um projeto realmente fascinante. Como eu comentei quando veiculei isso aqui no Digo, isso era um tipo de projeto que eu jamais imaginaria por aqui pelo Brasil em tão pouco tempo, se comparado com o recente modelo implantado em Paris no ano passado. Porém, além de ter sido surpreendido com o avanço de tal medida promovida em pleno estado do Rio, dessa vez, no anúncio feito pela assessoria de comunicação do governo, eles têm o orgulho de dizerem com todas as letras que esse projeto trata-se de um dos maiores do gênero, no mundo. Pra ser mais exato, é o terceiro maior projeto de Wi-Fi gratuito no planeta, ficando atrás apenas de projetos na Cidade do México e na China. É ou não é impressionante?

Os detalhes exatos de como isso funcionará, sinceramente, acredito que só poderei saber na prática, quando estiver funcionando. O projeto, que visa levar essa conexão a todo o estado, ainda me gera algumas dúvidas no que diz respeito à cobertura efetiva de todas as regiões e, como consequência, a substituição de assinaturas convencionais de serviços banda larga.





Transporte no Rio: 3 anos pra COMEÇAR a construir uma estação

22 01 2008

Eu não sei mais qual é o limite pra se sonhar com algo que faça uma revolução no transporte de massa no Rio de Janeiro, mas, quando esse limite é, desde sua criação, castrado de toda possibilidade imaginativa quando promovem projetos “realistas” a passo de lesma, não há mais o que se sonhar, esperar ou imaginar de um sistema como esse.

O Metro Rio, através de seu presidente, José Gustavo Costa, anunciou, dentre outras coisas, que a estação Uruguai, na Tijuca, terá sua construção iniciada em 2011. Dois mil e onze?!?! Mas essa estação é justamente a que menos pede investimentos, dentre quaisquer outras que possam ser construídas: o túnel dela já está pronto. O que precisa-se fazer, sim, é a estação em si, que responde pela menor parte do investimento, já que não haverá perfuração para implantação dos trilhos.

Não querendo imaginar nada absurdo, mas o mínimo possível, seria gastar energia demais querer imaginar quando o metro carioca chegaria no Leblon… quando na verdade o projeto inicial da linha 1 era fechar um anel, levando o metro desde a Tijuca até a Gávea e, fechando assim o círculo, fazendo uma ligação direta entre esses dois bairros sob a Floresta da Tijuca.

Com uma estação a cada 5 anos, já temos na fila General Osório, Cidade Nova e Uruguai até 2014… metro no Leblon ou na Gávea, só pra década de 20 ou 30 né?!





Ônibus a hidrogênio no Rio

18 01 2008

A COOPE (Coordenação de Programas de Pós-graduação em Engenharia da UFRJ) está desenvolvendo um programa para implantação de veículos movidos a hidrogênio em seu laboratório especializado em estudos aplicados ao hidrogênio.

O projeto, que é financiado pela FINEP e pela Petrobrás, desenvolveu um ônibus motorizado com essa tecnologia com custo do protótipo 50% menor que o protótipo desenvolvido pelos europeus. O novo ônibus terá autonomia de 300 km e não é poluente, além de gerar menos ruído.

Acho que teremos um bom avanço no sistema de transporte, se depender das pesquisas feitas pela UFRJ. Realmente a instituição está de parabéns. Vale lembrar que é dela o projeto bem-sucedido do biocombustível, e, um menos comentado mas com grande potencial, é o caso do desenvolvimento do trem por levitação magnética, que já existe no Japão e na China, mas, que a universidade carioca conseguiu desenvolver com tecnologia nacional.





Rio terá a primeira fábrica de semicondutores da América Latina

18 01 2008

Quem vinha acompanhando a lenga-lenga da TV Digital no Brasil, lembra que essa era uma das promessas do Governo Federal para o país, que definiria, a partir de um pré-requisito aos japoneses para a implantação do ISDB (padrão japonês de Tv Digital) o compromisso firmado por ambas as partes para uma, veja bem, possível instalação de uma fábrica de semicondutores.

Acabou que quem construirá a tão esperada fábrica será uma empresa americana. O Governo, numa atitude plausível, decretou em outubro do ano passado que abriria mão de todos os impostos federais, inclusive o imposto de renda, em favor da construção de fábrica(s) de semicondutores, que além de impulsionar e baratear o mercado interno de chips para Tv Digital, traria avanço tecnológico significativo ao país em diversas outras áreas que demandem alta tecnologia.

A Symetrix anunciou, para alegria de entusiastas cariocas, que erguerá sua poderosa fábrica, ao custo de US$1 bilhão, no Rio de Janeiro, mais precisamente no Parque Tecnológico do Rio, no Campus da UFRJ.

Um dos avanços que os semicondutores produzidos por essa empresa trouxe ao mercado de chips foi o cartão que funciona sem contato com a leitora, que identifica os dados do cartão por ondas de rádio. Você não precisa tirar o cartão da carteira para passar diante da leitora. A tecnologia da Symetrix já é utilizada nos trens, metrôs e carteiras de habilitação do Japão. Nesses cartões, conhecidos como smart cards, o chip não é aparente, e a memória que registra os dados é altamente resistente.

Voltando ao assunto Tv Digital, a fábrica a ser construída aqui no Rio, poderá construir qualquer tipo de chips, inclusive aqueles usados na Tv Digital, embora esse ainda não seja um dos planos iniciais da companhia, que previa apenas a fabricação de cartões e leitores, mas, que, antes de sair do papel, já cresceu para níveis de exportação de etiquetas inteligentes para os Estados Unidos e incluiu também a produção dos smart cards que eram comercializados pela Symetrix somente no Japão.

Fontes: ComputerWorld e Último Segundo





Projeto carioca transforma em cifras o gás podre do esgoto

10 01 2008

Situação típica de um Niteroiense ou Gonçalense indo em direção ao centro de Niterói: toda vez que o indivíduo chega próximo ao Mercado de São Pedro, largamente conhecido pelo estado todo como um dos mais tradicionais mercados de peixe da região, seu primeiro contato com lugar é marcado com um cheiro mais forte que a “pureza” do odor dos pobres peixinhos mortos. O cheiro, pra quem não conhece, é de merda mesmo!

Logo ao lado, uma estação de esgoto dá as boas vindas a quem está a caminho, por exemplo, de construções como o Teatro Popular do Caminho Niemeyer. Você até poderia pensar “já que construiram essa bosta aqui – ops, essa quem construiu foi você! – não há mais o que fazer né?”. Errado. O odor típico de uma estação de esgoto parece estar com os seus dias contados, pra população de um modo geral.

Uma parceria entre a Cedae e a UFRJ promete transformar em cifras toda essa poluição olfativa. Isso é o que eu chamaria de fazer uma limonada quando lhes dão limões! Hmm… acho que o caso aqui é mais complexo. Em nada os deliciosos limões me lembram os terríveis excrementos que provocam toda aquela onda impactante de odor em pleno centro de Niterói. Bem, deixe isso pra lá!

O fato é que as pesquisas que serão feitas através dessa parceria prometem dar um destino mais vantajoso aos gases provenientes das estações, transformando-os em biogás. Também haverá espaço para o biodiesel, que será produzido a partir das gorduras provenientes do esgoto.

É ou não é uma um projeto a ser aplaudido?





Conheça detalhes do que é o projeto Rio 2016

8 01 2008

Como disse anteriormente, o COB (Comitê Olímpico Brasileiro) entregará essa semana o questionário ao COI (que é o Comitê Internacional, já tá na hora de saber né!?). O questionário não é o documento final de candidatura de uma cidade aos Jogos. Esse documento, que é o Dossiê de Candidatura, ainda não está pronto, e, todas as cidades, tem até 12 de fevereiro de 2009 para entregá-lo.

O questionário, em sí, você poderá ver na íntegra no site oficial do Rio 2016, a partir de 15 de janeiro. Enquanto isso, antes que você fique na ansiedade pra saber o que o Rio pretende fazer pra sediar as olimpíadas, o COB resolveu entregar alguns detalhes muito interessantes:

Além de declarar que o Rio de Janeiro é a única cidade que tem mais da metade das suas instalações já prontas pra receber os jogos, instalações essas modernas e recém construídas, além das reformas de instalações como Maracanazinho e o Maracanã, o COB adiantou vários dados do Rio 2016.

  • Sua realização se daria entre 5 a 21 de agosto, para os Jogos Olímpicos e 7 a 18 de setembro para os Jogos Paraolímpicos. A justificativa são as condições climáticas favoráveis a prática de esportes. As férias escolares que normalmente são em julho, se dariam em agosto, excepcionalmente.
  • De acordo com o projeto, 11 instalações serão construídas e 4 serão temporárias.
  • Por enquanto, o orçamento do projeto dá conta das reformas das instalações já existente, construção de novas e montagem de instalações temporárias com um custo total de US$508 milhões, cerca de R$1 bilhão.
  • Novamente a Barra da Tijuca será a região que concentrará a maior parte dos Jogos, com 56% das instalações (20 modalidades).
  • Além das competições, a Barra sediará, também, o Parque Olímpico, a Vila Olímpica, as duas Vilas de Mídia, o Centro Principal de Imprensa (MPC), o Centro Internacional de Rádio e Televisão (IBC) e os Hotéis Oficiais do COI e do IPC.
  • Com a criação do Parque Olímpico, anuncia-se, então, o fim do Autódromo Nelson Piquet. O Rio perderá esse autódromo, mas, ganhará outro mais moderno, naturalmente, em Deodoro ou Santa Cruz. Quem sabe a F1 não venha pro Rio com esse novo autódromo também?!
  • Dentro desse Parque Olímpico, uma coisa será construída nele, independetemente do Rio sediar, ou não, os jogos: Centro Olímpico de Treinamento.
  • Além da Barra, as competições se darão, também, em outras 3 regiões: Copacabana, Maracanã e Deodoro.
  • Em Deodoro, o projeto Rio 2016 pretende construir também um Parque Radical, pra praticas de esportes radicais durante os jogos como caiaque slalom, ciclismo BMX e ciclismo mountain bike. Após os jogos, serão construídas outras instalações esportivas voltadas para o público jovem.

TRANSPORTE

  • O orçamento proposto até soa grandioso: US$ 2,6 bilhões. Suas aplicações são diversas, e esse orçamento não inclui, unicamente, os gastos públicos. Mas, o projeto soou um pouco decepcionante pra mim.
  • O grupo que analisa as questões de transporte para o Rio 2016 sugeriu a construção de sistemas BRT (Bus Rapid Transit) em corredores exclusivos na cidade.

Eu sou veementemente contra instalação de novas opções de transporte sobre pneus. Não é moderno, gera poluição, e não comporta a quantidade necessária de pessoa num único veículo tal qual outras opções como VLT e o próprio metrô. A Metro Rio criou uma interessante linha Copacabana-Barra, mas, claro, suscetível ao trânsito. Com esse anúncio, o Rio tímidamente enterra projetos de metrô na Barra, que, embora sua expansão seja incluida no projeto, duvido com todo o meu conhecimento no assunto, que uma nova linha, que não a 3 que não ficará no Rio, seja criada. O Rio necessita de um sistema SOBRE TRILHOS interligando aeroportos e rodoviária, que é o mínimo do mínimo possível a ser exigido.

  • O sistema BRT é o mesmo já utilizado em Curitiba. Seus corredores propostos no projeto ligariam Barra-Deodoro, Barra-Penha e Barra- Zona Sul.
  • Novas vias, reforma e ampliação dos sistemas de metrô e trens urbanos e a conclusão do Arco Rodoviário na região metropolitana também estão incluídos. Até agora, porém, não citaram uma ligação aeroporto-centro, pelo menos…

Panorama geral Rio 2016:

  • Além do autódromo, um outro equipamento emblemático no Rio acaba de ganhar o seu fim: a Cidade do Rock. No mesmo lugar, será construída a Vila Olímpica. Com o Rock in Rio anunciado pra 2014, já podemos esperar uma solução do Medina para o caso, haja visto que em 2014 a Vila, se não pronta, deverá estar em construção.
  • Todas as competições serão realizadas na Cidade do Rio de Janeiro, exceto, futebol, que está planejado para ocorrer em Brasília, Belo Horizonte, São Paulo e Salvador, dependendo da CBF.
  • As acomodações previstas para serem disponibilizadas no Rio estão em torno de 50.000 quartos. A exigência do COI é de 40.000 quartos para poder realizar uma olimpíada.
  • Rio 2016 com lagoas limpas (de jacarépaguá), mas, nada de Baía de Guanabara… Sidney consegiu despoluir sua baía, porque o Rio não pode?

E é assim que a Cidade pretende se preparar. Até lá, muita coisa pode mudar, mas, uma vez apresentado o Dossiê para o COI, as modificações têm obrigação de ser pra melhor, com o risco de a cidade escolhida ser banida por descumprimento de metas.

Isso significa, que, no mínimo, esse será o Rio de Janeiro em 2016. Que venha 2 de outubro de 2009 pra garantirmos, pelo menos, isso!





E vamos pro abraço! Rio 2016 com tudo em cima!

8 01 2008

A cidade do Rio de Janeiro, muito cantada em belíssimas canções, preparará uma grande valsa que será dançada ao som de suas mais belas canções e sob o brilho dos fogos que darão o encanto da festa mais disputada do planeta, num Maracanã lotado pra ver a coroação da Cidade Maravilhosa, apenas 2 anos depois de ter sido palco da festa mais esperada pela atual geração de Brasileiros que sonham com a final da Copa 2014.

Esse cenário, que admito poético, não está muito distante da realidade não. O Rio de Janeiro está, sim, amedrontando seus concorrentes postulantes à Sede dos Jogos Olímpicos 2016, e com toda a pompa do nome, a carioquinha está fazendo bonito. Isso porque, não tão surpreendemente assim, o Rio já tem, hoje, 2008, mais da metada das instalações dos jogos prontas! Cidade nenhuma tem esse poder de barganha. Claro que isso não é fator dominante, pois o anúncio será feito 7 anos antes justamente pra dar tempo a cidade eleita de se preparar pra grande festa.

De acordo com o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), “o Rio de Janeiro já apresenta instalações existente pra 72% dos atletas que competirão nos Jogos.”

É o PAN Rio 2007 mostrando seus resultados mais que bem-vindos!

Em comemoração ao fato, assista ao vídeo da Candidatura do Rio de Janeiro aos Jogos!